Translate

terça-feira, 25 de julho de 2017

O ESPÍRITO SANTO E A SALVAÇÃO- PASTOR BILLY GRAHAM - O PODER DO ESPIRITO SANTO

Em uma das nossas cruzadas, em Londres, um barão russo veio a uma reunião noturna. Ele não falava inglês, mas quando foi feito o convite para aceitar a Cristo, ele veio à freme. O experiente conselheiro russo que foi falar com ele perguntou-lhe como tinha entendido o suficiente da mensagem para compreendê-la tão inteligentemente, sem saber falar inglês. O barão disse: "Quando entrei neste lugar, um profundo desejo de encontrar a Deus tornou conta do meu coração. Diga-me, como posso achá-Lo? Esta é uma de centenas de histórias semelhantes que me aconteceram durante estes anos de ministério. Em nossas cruzadas temos conselheiros que falam diversas línguas. Por exemplo, em nossa última cruzada em Toronto tínhamos conselheiros capazes em 28 línguas. É impressionante que em quase cada evangelização há pessoas aceitando o "convite" que entendem muito pouco ou nada do idioma em que foi proferida a mensagem. Eu vejo nisto claramente a atuação do Espírito Santo, trazendo pessoas ao Salvador sem levar em conta a barreira da língua. Quando alguém vem a Cristo, a Bíblia nos diz que o Espírito Santo esteve atuando das mais diversas maneiras. Talvez algumas destas fujam à nossa compreensão, mas isto não altera o fato de que o Espírito Santo está profundamente envolvido em nassa salvação. Neste capítulo abordaremos alguns dos meios que o Espírito Santo usa para nos trazer a Cristo.

A LIDERANÇA DAS REUNIÕES EM AZUSA - A HISTÓRIA DO AVIVAMENTO AZUSA SEGUNDO FRANK BARTLEMAN

O irmão Seymour foi aceito como o líder nominal. Mas não havia papa ou hierarquia. Éramos todos irmãos. Não tínhamos programas humanos. O Senhor mesmo liderava. Não havia uma classe sacerdotal, nem ações sacerdotais. Estas coisas surgiram depois à medida que o movimento apostatou. No princípio não tínhamos nem plataforma, nem púlpito. Todos estavam no mesmo nível. Os ministros eram servos na verdadeira concepção da palavra. Não homenageavam os homens pelo que possuíam a mais de recursos ou de instrução, mas pelos dons que Deus lhe dera. Ele colocava os membros no lugar certo do Seu corpo. Agora "coisa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra: os profetas profetizam falsamente e os sacerdotes dominam de mãos dadas com eles; e é o que deseja meu povo. Porém, que fareis quando estas coisas chegarem ao seu fim?" (Jeremias 5:30,31). E também: "Os opressores do meu povo são crianças e mulheres estão à testa do seu governo" (Isaías 3:12). O irmão Seymour geralmente ficava sentado atrás de duas caixas vazias, uma em cima da outra. Usualmente mantinha a cabeça dentro de uma delas, durante o culto, em oração. Não havia orgulho aqui. Os serviços religiosos eram quase que contínuos. Almas sequiosas podiam ser encontradas sob o poder de Deus quase a qualquer hora, de dia ou de noite. Nunca o local estava fechado ou vazio. O povo vinha se encontrar com Deus. Ele estava ali. Por isso a reunião era contínua e não carecia de liderança humana. A presença de Deus tornava-se mais e mais maravilhosa. Naquele velho prédio de teto baixo e piso descoberto Deus fazia em pedaços homens e mulheres fortes e tornava a juntá-los outra vez para Sua glória. Era um tremendo processo de desmontagem e revisão geral. O orgulho e a auto-afirmação, a auto-importância e a auto-estima, não podiam sobreviver aqui. O ego religioso pregava rapidamente seu próprio sermão de enterro. Nenhum assunto ou pregação era anunciado de antemão e nenhum pregador especial havia para essa hora. Ninguém sabia o que iria acontecer e nem o que Deus faria. Tudo era espontâneo, comandado pelo Espírito. Queríamos ouvir Deus através de quem Ele falasse. Não fazíamos acepção de pessoas. Os ricos e cultos eram iguais aos pobres e ignorantes e era muito mais difícil para aqueles morrerem. Só reconhecíamos a Deus. Todos eram iguais. Nenhuma carne podia se gloriar na Sua presença, e Ele não podia usar quem tivesse opiniões próprias. Era reuniões do Espírito Santo, guiadas pelo Senhor. O Avivamento tinha de começar num ambiente humilde para que o elemento egoísta e humano não entrasse. Todos caíam juntos aos seus pés, com humildade. Todos se assemelhavam e tinham tudo em comum, neste sentido pelo menos. O teto era baixo e por isso as pessoas altas deviam dobrar-se. Ao chegarem a Azusa já tinham se humilhado, e estavam preparadas para as bênçãos. A forragem estava preparada para ovelhas, não ara girafas. Fomos libertos ali mesmo das hierarquias eclesiásticas e dos seus abusos. Queríamos Deus. Quando chegávamos à reunião evitávamos o máximo possível cumprimentar e conversar uns com os outros. Queríamos primeiro chegar a Deus. Colocávamos a cabeça em baixo de algum banco em oração e entrávamos em contato com os homens só no Espírito; não os conhecíamos mais na carne. As reuniões começam espontaneamente com testemunhos, louvor e adoração. Os testemunhos nunca eram apressados pela agitação do homem. Não tínhamos um programa preestabelecido que tinha de ser empurrado de qualquer maneira. Nosso tempo pertencia a Deus. Tínhamos verdadeiros testemunhos vindos diretamente de corações vibrantes com as experiências. Se não for assim, quanto menores forem os testemunhos melhor é. Uma dúzia de pessoas às vezes estavam de pé tremendo sob o poder de Deus. Não precisávamos que um líder nos indicasse o que fazer, mas também não havia desordem. Estávamos absorvidos em Deus nas reuniões, através da oração. Nossas mentes estavam voltadas exclusivamente para Ele, e todos Lhe obedeciam com mansidão e humildade. Em honra nós preferíamos uns aos outros (Romanos 12:10). O Senhor podia irromper através de qualquer um. Orávamos por isso continuamente. Alguém finalmente ficava de pé, ungido com a mensagem. Todos reconheciam isso e permitiam que acontecesse. Podia ser uma criança, um homem ou uma mulher. Podia ser do banco de trás ou do da frente. Não fazia diferença. Regozijávamos na obra do Senhor. Ninguém queria aparecer. Só pensávamos em obedecer ao Senhor. Na verdade, havia uma tal atmosfera divina que só um tolo se colocaria de pé sem verdadeira unção. E mesmo assim , não duraria muito. As reuniões eram controladas pelo Espírito diretamente do trono da graça. Verdadeiramente foram dias maravilhosos. Eu muitas disse que preferia viver seis meses naquela época do que cinqüenta anos de uma vida normal. Mas Deus ainda é o mesmo hoje. Só nós é que mudamos. Alguém podia estar falando. Repentinamente, o Espírito caía sobre toda a congregação. Deus mesmo fazia os apelos. Homens caíam por toda a casa como mortos numa batalha, ou corriam ao altar em massa buscando a Deus. A cena muitas vezes parecia uma floresta cheia de árvores caídas. Uma cena assim não podia ser imitada. Não me lembro de Ter visto um apelo sequer naqueles dias. Deus mesmo os chamava. E o pregador sabia quando parar. Quando Deus falava todos obedecíamos. Parecia algo temerário impedir a atuação do Espírito ou entristecê-lo. O local todo estava cheio de orações. Deus estava no Seu santo templo. À humanidade cabia ficar em silêncio. A glória do Shekinah1 estava ali. Aliás alguns diziam ter visto a glória do senhor envolvendo o prédio durante a noite. Eu não duvido. Mais de uma vez parei quando se aproximava deste local e orei pedindo forças antes de ousar continuar. A presença do Senhor era muito real.

LIÇÃO 48 OLHE PARA DENTRO, PARA O ALTO E AO REDOR ESTUDANDO O ANTIGO TESTAMENTO CENTRO DE FORMA CENTRO DE FORMAÇÃO APOSTÓLICA

O Livro e a vida de Jó mostram uma perspectiva importante sobre como encarar o sofrimento e as dificuldades. O povo de Deus sempre sofreu. Viver é difícil e complicado e tornar-se cristão não nos livra de ter problemas. Mas Deus tem uma mensagem para nós quando nossos corações estão sofrendo: a dor e o sofrimento são inevitáveis, mas a miséria é opcional. Esta é a mensagem do Livro de Jó.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

BOLSONARO APROVA DOIS PROJETOS EM 26 ANOS DE CONGRESSO DEPUTADO QUE ALMEJA CHEGAR AO PLANALTO DESLOCA ÁREAS DE SEUS PROJETOS AO LONGO DE 26 ANOS NO CONGRESSO NACIONAL; DE 171 PROPOSTAS, APENAS DUAS VIRARAM LEIS

BRASÍLIA - Potencial candidato à Presidência da República em 2018 e um dos políticos mais bem colocados em pesquisas de intenção de voto, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) mudou sua atuação parlamentar ao longo de 26 anos no Congresso Nacional. Quando chegou a Brasília, no início da década de 1990, seu foco era atender aos interesses de militares, sua primeira base eleitoral. Nos últimos anos, porém, ele ampliou suas propostas para a área de segurança pública, uma das mais vulneráveis do País e de maior apelo nas urnas. Assumidamente conservador, Bolsonaro busca novas parcelas do eleitorado. Ele já se banhou no Rio Jordão, em Israel, critica discussões sobre questões de gênero, sexualidade e direitos humanos e reverbera na internet suas polêmicas em página oficial com mais de 4,4 milhões de seguidores. Pelas redes sociais, grupos se pulverizam em apoio à sua candidatura no próximo ano. Bolsonaro, que é capitão da reserva do Exército, afirmou ao Estado que foi eleito inicialmente por um “segmento basicamente militar”, mas seguiu para outros campos. “Todos nós evoluímos”, disse. Levantamento feito pelo Estado/Broadcast revela o perfil da atividade parlamentar do deputado que almeja chegar ao Planalto no dia 1.º de janeiro de 2019. Em quase três décadas na Câmara, Bolsonaro apresentou 171 projetos de lei, de lei complementar, de decreto de legislativo e propostas de emenda à Constituição (PECs). No primeiro mandato, entre 1991 e 1995, foram 17 projetos de interesse de militares, ante apenas dois na área de segurança pública. Na atual legislatura, iniciada em 2015 e com término previsto em 2019, já são nove propostas para a segurança e somente três para o setor militar. Entre 2011 e 2015, na legislatura passada, o deputado apresentou 13 propostas na área de segurança, ante duas militares. As duas áreas representam 56,7% (97) das propostas legislativas de Bolsonaro – são 53 projetos para militares (32%) e 44 para segurança pública (25%). Nenhum, porém, foi aprovado. Apenas três projetos foram ligados a temas econômicos – entre eles o que propõe autorizar a dedução do Imposto de Renda das despesas comprovadamente efetuadas com empregados domésticos – e dez na área de saúde – como o que determina a proibição do aborto em casos de estupro. Para educação foi somente uma proposta, apresentada no primeiro mandato, a fim de conceder desconto progressivo em taxas e mensalidades escolares para famílias de militares com mais de um filho. Aprovação. Até hoje, o deputado teve aprovados dois projetos. Viraram lei uma proposta que estendia o benefício de isenção do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) para bens de informática e outro que autorizava o uso da chamada “pílula do câncer” – a fosfoetanolamina sintética.  Para o professor de Ciência Política da USP José Álvaro Moisés, o número de projetos apresentados por Bolsonaro revelam uma boa atividade parlamentar – média de 6,5 propostas por ano. “Não é pouco, mostra que ele é um deputado ativo. Mas a aprovação de apenas dois projetos revela que o que ele está propondo não é acolhido na instituição”, disse. ‘Gols’. A primeira emenda de autoria do deputado, aprovada em 2015, determina a impressão de votos das urnas eletrônicas. “Tão importante quanto você fazer um gol, é não tomar um gol. Eu trabalho muitas vezes para que certos projetos não sejam aprovados”, disse o deputado. Assim, “tão importante quanto apresentar propostas, é rejeitá-las”. “Uma enorme contribuição”, segundo o deputado, foi o combate ao chamado “kit gay”, material didático contra a homofobia vetado na gestão petista da presidente cassada Dilma Rousseff, em 2011. Voltado à disputa presidencial, Bolsonaro tem usado justamente esses temas nas redes sociais, onde sua popularidade se mostra em alta. Um exemplo foi um post seu sobre o kit, publicado em 10 de janeiro deste ano, que alcançou 38 milhões de internautas e o vídeo teve 8,3 milhões de visualizações. Questionado se a falta de diversidade em suas propostas poderia prejudicá-lo na corrida presidencial, o deputado nega. “A Dilma (Rousseff) apresentou algum projeto na vida dela? O (prefeito João) Doria apresentou algum projeto? Não tem nada a ver uma coisa com a outra”, afirmou Bolsonaro. / COLABORARAM THIAGO FARIA e MARIANNA HOLANDA.

BOLSONARO É O PREFERIDO DOS PARTIDOS QUE AINDA NÃO EXISTEM NA FILA DO TSE, MUDA BRASIL, PATRIOTAS E NOVAS VERSÕES DE UDN E ARENA APOIAM O DEPUTADO DO (PSC-RJ) GILBERTO AMENDOLA, O ESTADO DE S.PAULO

O deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), potencial candidato à Presidência da República em 2018, já conta com o apoio declarado de uma coligação de partidos que... não existem. O político, que apareceu bem colocado em pesquisas de opinião divulgadas recentemente pelo Datafolha (16%) e Poder 360 (21%), é cortejado por siglas que ainda buscam conquistar o registro do Tribunal Superior Eleitoral. Entre os “candidatos a partidos” que declararam simpatia ou disseram estar de portas abertas ao parlamentar estão Muda Brasil, Partido Militar Brasileiro, Patriotas, Força Brasil, Partido Popular Cristão (PPC), Partido Conservador (Paco) e as novas versões de Prona, UDN e Arena. O aceno das potenciais siglas vai ao encontro do desejo do próprio Bolsonaro – que já declarou que está de saída do PSC e procura uma legenda média ou pequena para se filiar. “Já conversei com alguns pequenos, como é o caso do Muda Brasil, mas nada garante que o TSE vai confirmar o registro desse e de outros partidos”, fala Bolsonaro. “Mas vejo com bons olhos o apoio dessas siglas”, afirmou. Bolsonaro calcula que não precisa de um partido grande para ser um nome viável em 2018. Ele acredita que, com um pouco mais de 20% das intenções de votos, sua passagem para o segundo turno estaria garantida. O deputado confia na força de sua figura pública e no “barulho das redes sociais” – e não considera tempo de TV fundamental no primeiro turno. Entre os partidos que sonham com Bolsonaro, o mais ostensivo é o Partido Militar Brasileiro. O apoio da sigla é explícito – e o deputado já está na foto de capa do site e do Facebook da sigla. “Vamos trabalhar para a candidatura dele e, quem sabe, ter o próprio deputado em nossos quadros”, disse o secretário-geral do partido, Arnold Filho. O Muda Brasil, que já conversou com Bolsonaro, diz que o deputado é “um nome” para o partido. “Ele tem um jeito de ser autêntico, um perfil nacionalista e família”, afirmou o presidente da legenda, José Renato da Silva. Entre os partidos que pretendem ressuscitar nas próximas eleições, Bolsonaro também parece uma unanimidade. A UDN, a Arena e até o Prona falam em “patriotismo”, “conservadorismo” e “autenticidade” para demonstrar simpatia à figura. Registros. O TSE informa que apenas dois requerimentos de registro de novas legendas estão em tramitação: o do Muda Brasil (MB) e do Igualdade (IDE). O primeiro já declarou apoio ao Bolsonaro; o segundo tem boas relações com a Rede. Ou seja, dos 61 partidos em formação apenas dois têm chances reais de disputar em 2018. Para o cientista político Marco Antônio Teixeira (FGV), a atração entre os partidos pequenos (ou que ainda não existem) e Bolsonaro é natural. “Bolsonaro procura um partido que seja apenas ele mesmo. Não quer um partido com caciques e outras lideranças, não quer dividir poder ou discurso”, disse.

ROCHA BARROS: VITÓRIA DE BOLSONARO SERIA DESISTÊNCIA DE UM BRASIL MODERNO

O sociólogo Celso Rocha Barros mostrou como a eleição de Jair Bolsonaro à Presidência jogaria o Brasil no caminho do atraso; "Não há um só país desenvolvido no mundo que corresponda à visão que Jair Bolsonaro defende para o Brasil. Os países mais desenvolvidos são justamente os que mais respeitam os direitos humanos, os que mais toleram a diversidade, aqueles em que a polícia e o Exército são mais claramente subordinados ao Executivo democraticamente eleito (...) E a propósito: não ache que o bolsonarismo é coisa de homem. Homem é um tipo de adulto", escreve: Em sua coluna nesta segunda-feira, Celso Rocha Barros mostra como a eventual eleição do deputado Jair Bolsonaro à Presidência simbolizaria colocar o Brasil no caminho do atraso. Confira abaixo trechos do texto, publicado na Folha de S.Paulo. "Não há um só país desenvolvido no mundo que corresponda à visão que Jair Bolsonaro defende para o Brasil. Os países mais desenvolvidos são justamente os que mais respeitam os direitos humanos, os que mais toleram a diversidade, aqueles em que a polícia e o Exército são mais claramente subordinados ao Executivo democraticamente eleito. Bolsonaro é o Brasil que desiste, que abandona a pretensão de pertencer ao Ocidente iluminista e prefere se divertir com as coisas que divertiam nossos antepassados, como execuções públicas e linchamentos. Mas as comparações mais pertinentes com o que Bolsonaro defende não vêm de nenhum país desenvolvido. Bolsonaro quer trazer o Exército de volta para a política. Nesse momento, há dois países fazendo isso: a Venezuela, onde Maduro só se sustenta porque entregou o Estado para os oficiais, e a Coreia do Norte, governada pela doutrina oficial Songun, a primazia das forças armadas. Pessoal de PT e PCdoB, da próxima vez, levem o abaixo-assinado que o Jair assina. Com a crise do PSDB, a última tentativa da direita brasileira de ser um partido democrático moderno, a turma de sempre pode voltar para Bolsonaro e encontrar de novo um coturno para lamber. Enfim, se você quiser votar em Bolsonaro, vá em frente, não sou sua mãe. Mas fique avisado de que está desistindo de viver em um país moderno. E a propósito: não ache que o bolsonarismo é coisa de homem. Homem é um tipo de adulto."

SER PRESIDENTE DO BRASIL É UMA MISSÃO DE DEUS, AFIRMA BOLSONARO CANDIDATO TAMBÉM DISSE QUE PENSA EM SAIR DO PAÍS SE PERDER AS ELEIÇÕES POR TIAGO ABREU

Em entrevista dada à Revista Veja, o deputado federal Jair Bolsonaro declarou-se candidato à Presidência da República por um partido ainda não determinado. O político pretende deixar o PSC e encontrar uma sigla que abrace sua ideia de ser o chefe do Executivo nacional. Questionado pela possível dificuldade de se candidatar por um partido nanico, Jair não mostrou preocupação. “As mídias sociais terão um papel muito forte nessas eleições. E se eu fizer uma campanha com meu dinheiro, sei que não vai ter margem empresarial”, disse. Em seguida, afirmou que encara a empreitada como um mando divino. “Não estou fazendo isso por obsessão, eu entendo que o que acontece comigo é uma missão de Deus e ponto final. Se for a vontade de Deus, se for a missão dele, estarei pronto para cumpri-la”. Jair também disse que não se preocupa com as mudanças de cenário caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não possa concorrer. “Vejo que a campanha de alguns candidatos é bater no Lula, mas resolveram bater no Lula depois que ele caiu em desgraça”, opinou. O político também falou sobre suas impressões acerca da maior visibilidade da direita no país. “Até o ano passado, era só palavrão. Eu sempre falei que era de direita. E o que era direita? Era fazer o contrário do que o PT vinha fazendo”. “Agora, como isso passou a ser bonito, muitas pessoas de partidos e de setores da imprensa botaram o PSC na direita e me colocaram na extrema direita. Chegaram a esse absurdo”, defendeu-se. Por fim, confessou que pode ter outros planos para 2019, caso não for eleito. “No meu entender, se tivermos em 2019 um governo que seja do PT, do PSDB ou do PMDB, acho que vai ser difícil eu permanecer no Brasil, porque a questão ideológica é tão ou mais grave do que a corrupção”.

"ISRAEL E SEU POVO TESTEMUNHAM A FIDELIDADE DE DEUS", DIZ VICE-PRESIDENTE DOS EUA EM UM DISCURSO RECENTE, MIKE PENCE CITOU A PASSAGEM BÍBLICA EM QUE EZEQUIEL PROFETIZA SOBRE OS OSSOS SECOS E DESTACOU A SUPERAÇÃO DE ISRAEL. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO CHRISTIAN TODAY

Mike Pence disse que Deus impôs suas mãos na criação do Estado de Israel, enquanto ele homenageava o Estado judeu e se dirigiu ao grupo evangélico 'Cristão Unidos para Israel', durante o encontro anual da organização liderada pelo pastor norte-americano John Hagee, em Washington. O vice-presidente também prometeu que o governo de Trump realmente fará a transferência da embaixada dos EUA em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. "De fato, embora Israel tenha sido construído por mãos humanas, é impossível não sentir que em toda sua história está a mão que veio dos céus", disse Pence. O grupo 'Cristãos Unidos por Israel' é composto em grande parte de evangélicos e se reuniu em Washington na última semana para celebrar o que seus membros consideram uma administração mais alinhada com seus valores. De acordo com o site 'Religion News Service', Pence emocionou o público presente, citando a visão do Profeta Ezequiel sobre os ossos secos (Ezequiel 37): "Ezequiel profetizou: 'Eis que farei entrar em vós o espírito, e vivereis". "O Estado de Israel e seu povo testemunham a fidelidade de Deus, bem como os seus. Quão improvável foi o nascimento de Israel? Quão mais improvável foi sua sobrevivência e como contrariou todas as probabilidades, conseguindo prosperar?", lembrou ele em seu discurso. Desde a fundação de Israel, Pence acrescentou, "o povo judeu impressionou o mundo com sua força de vontade e sua força de caráter". Pence também prometeu que Trump não se esqueceu de sua promessa sobre a transferência da embaixada dos EUA para Jerusalém, uma medida que pode gerar protestos por parte dos palestinos. "Não é uma questão de 'se'. É apenas 'quando' e como", disse ele ao comentar o assunto.

ESTUPRADORES DESISTEM DE ATAQUE APÓS VISÃO DE JESUS PROTEGENDO JOVEM OS ESTUPRADORES SAÍRAM CORRENDO ANTES DE ATACAR A JOVEM, APÓS VER UM “HOMEM COM APARÊNCIA DE FOGO” TENTANDO PROTEGÊ-LA. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE BIBLES FOR MIDEAST

Criada no sul da Ásia em uma família da casta sacerdotal hinduísta, Phoebe teve a vida transformada por Cristo depois de ser evangelizada na universidade por uma amiga, que é filha de missionários da organização Bibles For Mideast. Phoebe entregou sua vida a Jesus após sonhar com um homem que a convidava para segui-lo. Depois de ler a Bíblia e receber explicações de sua amiga, ela teve a certeza de que havia tido uma experiência sobrenatural com o Filho de Deus. Depois que os exames universitários foram concluídos, a jovem foi contratada por uma empresa onde conheceu Jawad, um jovem muçulmano que pediu Phoebe em casamento. No entanto, sua real intenção era atraí-la para o islamismo. Em vez disso, Phoebe compartilhou sua nova fé com Jawad, o deixando profundamente irritado. Ele ficou ainda mais furioso depois que a jovem se recusou ter um compromisso amoroso com ele. Certo dia, Jawad e alguns amigos atacaram Phoebe na volta do trabalho e tentaram estuprá-la. Ela gritou o mais alto que podia e clamou por Jesus, segundo relato do pastor Peter Haneef, da Igreja Assembleia de Deus Amoroso, na qual a jovem faz parte. “Imediatamente, um homem com aparência de fogo apareceu em frente a todos eles e resgatou Phoebe. O calor do homem era tão forte que as roupas dos agressores ficaram praticamente queimadas. Eles fugiram quase nus. Phoebe acredita firmemente que Jesus a salvou”, relata Haneef. Depois de viver um livramento sobrenatural, Phoebe sentiu Deus falando a seu coração. “Não tenha medo. Você é minha filha querida. As montanhas podem tremer e as colinas podem cair, mas meu amor por você não vai falhar ou ser abalado”. Phoebe sentiu a presença de Jesus até ela voltar para sua casa. Quando contou à sua família o que tinha acontecido, eles ficaram impactados e se entregaram a Cristo. Hoje, todos frequentam a igreja.

ABUSADA PELO PAI, MULHER SUPEROU TRAUMA ATRAVÉS DA FÉ: "SOU NOVA CRIATURA" HOJE, JENNIFER UNAGNST AJUDA A RESGATAR MULHERES QUE FORAM ABUSADAS, COMO ELA TAMBÉM FOI, LEVANDO ELAS A ENCONTRAREM CRISTO. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA CBN NEWS

Jennifer Unagnst cresceu em uma casa cheia de e medo. Aquele que deveria ser seu grande exemplo de homem lhe fazia muito mal. "Meu pai deveria ser meu herói. Deveria ser meu protetor, mas sim ele era um monstro. Ele era um agressor de crianças. Ele molestou minha irmã e a mim por muitos anos", disse ela em entrevista para o site CBN News. "Ele era imprevisível quando ficava muito bêbado. Durante os tempos de abuso, eu meio que desviava minhas emoções, ou tentava me concentrar em coisas como nos azulejos do teto, contando eles. Às vezes eu simplesmente chorava. Mas eu tentava segurar minhas lágrimas porque não queria que meu pai soubesse que estava chorando. Foi doloroso porque não queria que isso acontecesse, mas não queria que ele ficasse bravo comigo", confessou. "Eu me sentia realmente suja, como se eu fosse uma criança ruim. Ser criança e ser abusada dessa forma, tirou minha auto-estima e meu valor. E me sentia realmente sozinha. E acima de tudo, a única coisa que eu queria era alguém para me amar incondicionalmente, sem me prejudicar, e essa era a única coisa que me faltava". Anos de abuso e confusão sexual deixaram Jennifer cheia de ansiedade. Ela ficou assombrada por sonhos demoníacos à noite. Jennifer diz: "Havia uma força muito escura na minha casa. Foi realmente assustador. À noite, eu simplesmente colocava o lençol sobre minha cabeça. Vivi tanto medo à noite, especialmente no escuro. Às vezes, eu simplesmente deixava minha casa para que eu pudesse focar em outro lugar”, disse. O pior pode acontecer, sim Quando tinha oito anos de idade, Jennifer entendeu que não havia lugar seguro para ela. "Nós estávamos todos a andar de bicicleta, todas as crianças do bairro. Um vizinho me perguntou se eu queria entrar para tomar um refrigerante. Entrei em sua casa e ele acabou abusando de mim. Fui violentada sexualmente em sua casa. Parecia que, em qualquer lugar que eu fosse, eu era um alvo". Ela nunca relatou o acontecido, mas quando tinha 14 anos, teve coragem de contar a sua mãe sobre os anos de abuso de seu pai que foi preso, mas para Jennifer a dor e a escuridão permaneceram. Ela lembra: "Todo esse medo e solidão se transformaram em raiva. Eu me sentia culpada por contar, por que eu separei minha família. E, eu só queria me machucar, pois senti que era assim que eu merecia. Comecei a me cortar, usar heroína, usar cocaína, fiz tudo o que pude para obter isso. Tornou-se realmente viciante para mim, porque tirou toda essa dor, toda essa tristeza, toda minha identidade", relatou. Ela chegou a morar em seu carro e a vender seu corpo por drogas. Jennifer diz que ficava drogada por semanas. "Houve momentos em que, quando eu me drogava muito, dormia por dias e acordava só para comer e chorar incontrolavelmente. Minhas emoções assumiam o controle. E então eu andava por aí e caminhava pelas ruas, torcendo para que alguém parasse e me ajudasse", contou. Ninguém parou. Ela diz que se sentia presa e sem esperança. Jennifer se envolveu com um motoqueiro e isso quase lhe custou a vida. "Foi aí que eu enfrentei muitos ataques. Eu estava sendo chutada e perfurada e sufocada por travesseiros. Eu sabia que poderia morrer em qualquer momento. Então, peguei sua arma um dia quando ele estava no trabalho. E me sentei com aquela arma por mais de uma hora, chorando. Eu só queria terminar com tudo. Naquela época eu estava pronta. Eu simplesmente não queria mais essa vida", ela disse.Esperança para um novo dia Para Jennifer, a esperança veio quando ela se reconciliou com sua mãe que havia se tornado cristã. Sua mãe contou a ela sobre a Bethany House, uma casa cristã para meninas de rua. Desesperada por ajuda, ela foi ao lar. "Eu podia ver a luz dentro da casa. No instante em que entrei, era quase como um clarão na escuridão que tinha em mim. Eu podia ver o Espírito Santo no rosto de todos. Eu senti o amor. Era incondicional. Era puro”, comentou. “Nunca tinha sentido algo assim na minha vida. Eu estava indo do inferno para o céu. Eu sabia que não era deste mundo. Porque alguém assim me ama, você sabe? Por que essas pessoas ainda abririam uma casa assim para pessoas como eu? Esse foi um momento crucial na minha vida, quando soube que as pessoas me amavam, e não foi por nada, senão apenas o amor". No dia seguinte, Jennifer se converteu. "O que significou para mim, entregar minha vida a Cristo? Eu não teria mais que viver na escuridão. E eu não teria mais que ser abusada. E eu finalmente encontrei o amor que eu sempre procurei na minha vida. Era tudo o que eu estava procurando. Jesus é meu Pai celestial. E Ele sempre será meu protetor, meu herói". Sua vez de ajudar Ela diz que Deus começou a curar as feridas emocionais dos anos de abuso. Ela fundou recentemente a Casa de Engedi, que ajuda mulheres que foram sexualmente exploradas e abusadas, como ela foi um dia. Jennifer diz que o objetivo é "resgatar outras mulheres que estão por aí e que estão feridas e abusadas, levando elas a conhecerem Cristo. Quando elas entram, elas experimentam o mesmo que eu experimentei quando entrei na minha antiga casa de recuperação", conta. Ela diz que o abuso que a definiu agora é substituído pelo amor e pela graça de Deus. "Eu sou uma nova criação em Cristo. O velho homem morreu depois de descobrir minha verdadeira identidade, que está Nele. Eu sou a filha Dele. Estou perdoada. Eu sou amiga Dele. Qualquer um que esteja afastado, que tenha sofrido ou abusado ou que pensa que não pode ter ajuda, que está no fim ou pensando em se matar, Deus pode levantar você para fazer qualquer coisa. Apenas chame o nome de Jesus. Há uma esperança Nele", finalizou.

NONO DIA DO JEJUM DA LIBERTAÇÃO - PASTOR SERGIO LOURENÇO DO MINISTÉRIO EM DEFESA DA FÉ APOSTÓLICA E MEMBRO DO CONSELHO DE PASTORES DO ESTADO DE SÃO PAULO

A paz do Senhor a todos,  hoje vamos para nosso nono  dia da campanha, é bom relembrar que caso você não siga os três passos básicos da libertação, você não alcançara o objetivo desejado. Você deve ter muito claro em sua mente que se você e eu não pedimos perdão pelos nossos pecados, não nós arrependemos de todo o mal gerado pelos nossos atos pecaminosos, não tem como vivemos um processo de libertação. Vejamos o que diz a Bíblia em Segunda Crônicas capitulo 7 versículos 13 ao 15:

"Se eu fechar o céu para que não chova ou mandar que os gafanhotos devorem o país ou sobre o meu povo enviar uma praga, se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus o ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra. De hoje em diante os meus olhos estarão abertos e os meus ouvidos atentos às orações feitas neste lugar.


Neste nono dia vemos a importância de pedimos perdão diante de Deus, pois quando reconhecemos nossos erros e temos ciência que estamos pecando, o que precisa ser feito de imediato é pedir perdão diante de Deus, pois quando pedimos perdão, reconhecemos que estamos errado, ai temos o começo do processo de libertação em nossas vidas! Que neste nono dia de jejum Deus abra sua mente de forma extraordinária para que você possa ter vitória neste processo de libertação.    

JIM CARREY PREGA SOBRE JESUS PARA EX-PRESIDIÁRIOS EM CENTRO DE REABILITAÇÃO O ATOR FALOU SOBRE A OBRA REDENTORA DE CRISTO PARA EX-PRESIDIÁRIOS E MEMBROS DE GANGUES EM LOS ANGELES, NA CALIFÓRNIA. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE CHRISTIAN TODAY

O ator Jim Carrey falou sobre a obra redentora de Cristo para ex-presidiários e membros de gangues no último mês, em um centro de reabilitação em Los Angeles, na Califórnia. “Eu acredito que esta sala está cheia de Deus”, Carrey começou falando ao público de ex-criminosos no centro Homeboy Industries, liderado pelo Rev. Gregory J Boyle. O ator revelou que enfrentou algumas dificuldades no último ano, quando lutou contra a depressão, mas afirmou que “o sofrimento leva à salvação”. “[Diante das perdas] tomamos uma dessas decisões — ou atravessamos o portão do ressentimento, que nos leva à vingança e a fazer a mal aos outros, ou atravessamos o portão do perdão, que nos leva à graça”, destacou. Em seguida, Carrey afirmou que a presença dos ex-criminosos em um centro de reabilitação já indicava que eles tomaram a decisão de atravessar a porta do perdão e da graça, assim como Cristo fez na cruz. “Ele sofreu terrivelmente e foi quebrado por isso, chegando ao ponto de lidar com um sentimento de absoluto abandono, como todos vocês têm sentido”, disse o ator. “Em seguida, houve uma decisão a ser tomada [por Jesus]. E a decisão foi olhar com compaixão e perdão para as pessoas que estavam causando esse sofrimento. Isso é o que abre as portas do céu para todos nós. Eu desejo isso para todos vocês. Eu desejo isso para mim mesmo”, acrescentou. Mais tarde, o ator falou da soberania de Deus sobre a criação. “Eles falam sobre a onipresença de Deus na igreja e ninguém pensa realmente o que isso significa. Isso significa que cada célula do seu corpo é Deus. Tudo é Deus. Tudo é divino”, disse Carey. 3 compartilhar 0 0

SE ENTREGAR A CRISTO NÃO VAI FAZER DA SUA VIDA UM MAR DE ROSAS, DIZ ALEJANDRO BULLÓN O PASTOR ALEJANDRO BULLÓN FALOU SOBRE COMO ELE REAGIU QUANDO SEUS FILHOS CAÍRAM EM PECADO E AFIRMOU QUE A VIDA DO CRISTÃO NÃO ESTÁ LIVRE DE PROBLEMAS. FONTE: GUIAME

"Sou um ser humano. Por mais que tente fazer tudo certo, nem sempre sai assim". A confissão bem sincera foi feita pelo renomado pastor Alejandro Bullón em uma entrevista, na qual comentou o fato de que nenhum cristão - nem mesmo um pastor - está blindado contra conflitos e tribulações, como por exemplo problemas na família. Na entrevista, Bullón expôs alguns fatos que ocorreram com seus filhos, a sua reação diante dos problemas com eles e nem todos souberam da história por completo. "Pouca gente sabe disso... tenho quatro filhos. Eu os amo, sinto orgulho deles. Mas eles são de carne e osso. Falham, fazem coisas certas e erradas", disse. "Dois filhos meus tiveram sérios problemas. Escorregaram e se feriram muito. Foram removidos da igreja e aceitaram a disciplina", acrescentou. Bullón contou que quando o pecado de seus filhos veio à tona, ele recebeu uma carta - escrita por alguém que não teve o nome revelado - dizendo: "Eles [seus filhos] são a prova de que o seu Evangelho não funciona". "Em primeiro lugar, esse não é o meu Evangelho. É de Cristo e ele funciona, sim! Eu nunca preguei que quando você aceita a Cristo a sua vida será um mar de rosas e nunca vai cair. Tomara que não caia. Se você nunca soltar do braço de Cristo, não vai cair", lembrou. "Mas o que eu preguei é que: se por algum motivo da vida, você soltar do braço de Cristo e cair, não fique ali! Levante-se! Acredita em Cristo e siga em frente. Esse evangelho é uma realidade na vida dos meus filhos. Porque eles caíram e caíram feio, mas hoje estão restaurados e dentro da igreja", disse. Um de seus filhos acabou caindo em pecado, por manter relações sexuais antes do casamento e foi assim que Bullón ganhou seu primeiro neto. "Eu digo que meu primeiro neto 'entrou pela chaminé', mas entrou diretamente no meu coração. Esse neto é uma das razões da minha vida nesta terra. Como eu o amo!", contou. O pastor explicou que ama igualmente todos os seus netos, mas o primeiro deles acabou marcando sua vida, por fazer parte da história de restauração de seu filho na igreja. "Quando meu filho caiu e veio a mim chorando, eu pensei: 'se não posso ser pastor para ele, serei para quem?", destacou.

CASAL CRISTÃO RESGATA MENINAS DO BOKO HARAM E GARANTE SEUS ESTUDOS: "DEMOS PASSOS DE FÉ" PAUL E REBECCA RESGATARAM 10 GAROTAS DO BOKO HARAM E AGORA TRABALHAM PARA QUE ELAS POSSAM CONCLUIR SEUS ESTUDOS. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO WORLD WATCH MONITOR

São muitos quilômetros da Nigéria para os Estados Unidos. Mas, a dificuldade da distância foi vencida para essas garotas que vão ter a oportunidade de estudar na terra do Tio Sam graças a um casal cristão que as resgatou. O sequestro das meninas de Chibok aconteceu no dia 14 de abril de 2014 e agora quatro delas irão começar a estudar em uma universidade nos EUA no próximo mês. Um casal nigeriano, que ajudou 10 garotas a fugir para prosseguir com seus estudos, viajou da Nigéria para Washington no mês passado para participar da cerimônia de graduação do ensino médio de dois delas. Debrah e Grace estavam entre as 276 estudantes que foram sequestradas durante a noite pelo grupo radical Boko Haram, no dormitório da escola. A maioria delas são cristãs, da “Igreja dos Irmãos” na Nigéria, também conhecida como Ekklisiyar Yan Uwa a Nijerya, ou a EYN Church. O casal, Paul e Rebecca Gadzama, são co-fundadores e diretores da Education Must Continue Initiative (EMCI), uma instituição de caridade que visa ajudar as crianças a prosseguir seus estudos em áreas afetadas pelos conflitos do Boko Haram.Medidas de fé "Nós tomamos medidas de fé quando trouxemos algumas meninas que conseguiram escapar. Elas ficaram em nossa casa por quase seis meses, e finalmente conseguimos levar 10 delas para os EUA", diz Rebecca. "É uma grande conquista, não só para Paul e para mim, mas para toda a boa vontade das pessoas que ajudaram essas duas meninas a alcançar essa vitória", celebrou. "Estávamos muito entusiasmados e cheios de alegria para ver essas meninas, cuja educação estava prestes a ser comprometida pelos militantes islâmicos", acrescenta o marido, Paul. "Estamos muito gratos a Deus por sua fidelidade". A ação do casal é um verdadeiro milagre, pois eles não podiam pagar a graduação da própria filha - que cursa um Mestrado em Saúde Pública em Michigan - há poucas semanas. Ao contrário de algumas de suas colegas de escola, que escaparam dos caminhões dos terroristas nos momentos após o sequestro, Grace e Debrah foram levadas até o campo do Boko Haram na Floresta de Sambisa, até que elas escaparam e voltaram para casa em uma viagem terrível que demorou uma semana. Elas fazem parte do grupo de 57 garotas que conseguiram escapar, desde a fuga do ano passado (em Amina Ali), o que aconteceu somente depois de dois anos em cativeiro. Mais de uma centena de garotas foram resgatadas no ano passado, mas cerca de 100 ainda não foram reconhecidas.

DIPLOMAS DE CURSOS LIVRES DE TEOLOGIA PODERÃO SER CONVALIDADOS ATÉ SETEMBRO DÚVIDAS SOBRE O PROCESSO CONVALIDATÓRIO PODERÃO SER ESCLARECIDAS EM UMA PALESTRA QUE SERÁ PROMOVIDA EM SÃO PAULO. FONTE: GUIAME

A convalidação de títulos de cursos livres de Teologia poderá ser realizada até setembro deste ano, conforme decisão da Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional de Educação (CNE/MEC). Embora uma informação incorreta divulgada na internet indique que o fim da convalidação de cursos livres tenha sido aprovado no dia 12 de março de 2014, não há nenhuma referência a essa decisão na súmula da reunião do CNE nesta data. O real prazo foi estendido para setembro de 2017. Depois disso, não será mais possível convalidar diplomas de cursos livres de teologia. Em nota, o pastor Bruno dos Santos alertou sobre o engano dessas informações que, segundo ele, têm sido divulgadas por algumas Faculdades Teológicas que fazem convalidações “na ânsia de angariar novos alunos”. “Queremos salientar que é uma irresponsabilidade a vinculação destas informações de maneira leviana, pois milhares de pessoas de maneira séria estão estudando teologia e esperam o mínimo de respeito da sociedade brasileira, que despreza o conhecimento teológico, diferente dos países de primeiro mundo”, afirmou. O texto que indicava que o fim da convalidação em 2014 ainda alegou que o MEC teria alterado a duração do curso de Teologia para seis anos. “Primeiro o Governo, através do CNE/MEC, não seria irresponsável de dar um prazo tão pequeno ou até mesmo aumentar de 5 para 6 anos a duração do curso oficial. Segundo, os melhores cursos teológicos são os disponibilizados por Seminários sem vínculo com o MEC, pois abrangem a teologia pura, sem vínculo com o estado”, afirmou o pastor. Para esclarecer mais sobre o tema, o pastor Bruno dos Santos irá palestrar sobre o processo convalidatório no “Encontro Acadêmico de Extensão Teológica”. O evento irá acontecer no dia 29 de julho, na Igreja Apostólica Vida Nova, na Zona Leste de São Paulo. A entrada é gratuita e as inscrições devem ser feitas no site: www.fatinsp.com.

JOGADOR RECUSA CONTRATO DE R$ 166 MILHÕES PARA OBEDECER A DEUS: “CONFIO NO SENHOR” KIRK COUSINS SE RECUSOU A SER O SEGUNDO JOGADOR MAIS BEM PAGO POR MÉDIA NA HISTÓRIA DA NFL PARA SEGUIR UMA DIREÇÃO DE DEUS. FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE DESERET NEWS

O atleta Kirk Cousins teve a oportunidade de ser o segundo jogador mais bem pago por média na história da NFL (Liga Nacional de Futebol Americano), mas se recusou para seguir uma direção de Deus. Dirigentes da equipe Washington Redskins ofereceram US$ 53 milhões (equivalentes a mais de R$ 166 milhões) e garantiram um total de US$ 72 milhões para cobrir as lesões. Enquanto a maioria das pessoas aceitaria prontamente uma oferta como essa, Cousins decidiu seguir uma direção que foi conduzida por Deus. “Minha fé está dirigindo esta decisão”, disse Cousins à CBS Sports. “Eu sinto que Deus está me levando a tomar esta decisão e está me dando paz” Tomar uma decisão com base na orientação de Deus não é novidade para Cousins, que acredita que não estaria na NFL sem a ajuda divina. “Ele me trouxe para Washington (capital dos Estados Unidos). Ele tinha um plano para mim”, afirmou Cousins à CBS Sports. “Eu não sabia seria futebol ou outra coisa, mas Ele me colocou em Washington por uma razão. Acredito que, com todo o meu coração, eu fiquei contente em ser paciente, dar um tempo para ter certeza e continuar esperando no Senhor”, acrescentou. Cousins ​​também contradisse os opositores que questionaram sua decisão, afirmando que Deus foi decisivo em seu passado e continuará influenciando o seu futuro. “[Deus] revelou que Ele fez muito mais em minhas cinco temporadas aqui em Washington do que eu pensaria que fizesse”, contou o jogador. “Aqui eu sento e as pessoas estão dizendo: ‘Parece que ele está num beco sem saída. Depois deste ano, o que vai acontecer com o Kirk?’ Eu diria a mesma resposta: ‘Estou confiando no Senhor’”, afirmou.